quinta-feira, 12 de novembro de 2015

The Epic Adventures of Lydia Bennet, Kate Rorick, Rachel Kiley


Opinião: Este é um livro escrito no seguimento de The Lizzie Bennet Diaries (a série de vídeos no YouTube) e de The Secret Diary of Lizzie Bennet (o livro spin-off que segue os mesmos acontecimentos, em jeito de diário da Lizzie).

O ângulo deste livro é seguir a Lydia depois dos acontecimentos das duas histórias anteriores. A sua história foi daquelas que ficou mais inacabada, incompleta, depois de tudo. O quase-escândalo do vídeo deixou uma forte marca numa jovem que era tão animada e bem-humorada, e Lydia debate-se com como lidar com isso.

Gostei tanto de seguir a Lydia e o seu caminho. É interessante, uma coisa que eu acho que a série se pautou por fazer extraordinariamente bem é adaptar os conflitos da história original para o século XXI. E no caso da Lydia, isso é particularmente verdadeiro. Uma fuga escandalosa de casa com um homem com quem não se está casada... torna-se num escândalo na Internet, em que o Wickham pretende vender um vídeo de sexo deles.

E o mais importante disto é que o conflito essencial mantém-se; mesmo separadas por dois séculos, ambas as Lydias vêem-se algemadas às expectativas da sociedade sobre como uma mulher deve ser e parecer. Em ambas as histórias, um comportamento aparentemente leviano é punido com a dose certa de consternação e horror e tragédia.

Acho que isso me fez apreciar mais a Lydia como personagem. Não há nada de errado com ter uma personalidade como a dela, mas fizeram-lhe sentir que ser ela própria é mau, e isso é verdadeiramente trágico.

Portanto, a Lydia está perdida, à deriva, à procura de dar um objectivo à sua vida depois de ela quase ser destruída. E ela engonha, e deixa tudo falhar, e uma coisa tão simples parece que é o mundo a acabar... gostei de ver isso. De a ver esforçar-se para encontrar o seu caminho, e tropeçar frequentemente até encontrar o que funciona para si.

A minha parte favorita do livro foi vê-la em Nova Iorque, e depois, vê-la resolver as coisas com a Jane e com a Mary. Discutir, mesmo, se for preciso. Era uma coisa importante que ela precisava de fazer para se resolver. Apenas tenho pena de não a ter visto com a Lizzie. Parte das acções da Lydia no passado foram em reacção aos conflitos que tinha com a Lizzie, e sinto que elas não acertaram a sua relação, como aconteceu com a Mary, por exemplo.

Apreciei um pequeno à-parte com os pais das irmãs Bennet. Mais uma vez, o livro faz um bom trabalho em relembrar-nos que eles têm a sua vida, coisas a passar-se com eles que as meninas não reparam por estarem demasiado embrenhadas nas suas vidas.

O livro fecha relativamente bem a história, mas gostava que isto ainda não fosse o fim das irmãs Bennet. Sinto que ainda há que explorar neste mundo, e gostava de saber mais do que se vai passar no futuro delas.

Páginas: 336

Editora: Touchstone (Simon & Schuster)

Sem comentários:

Publicar um comentário