segunda-feira, 30 de abril de 2018

Este mês em leituras: Abril 2018

Mais um mês passado! Tenho a dizer que tenho saudades do blogue, mas estar de férias de opinar também é bom.

Livros lidos


Os livros que marcaram o mês

The Case for Jamie, Brittany Cavallaro - estou muito satisfeita com a maneira como a autora resolveu a história... abordou a relação algo disfuncional dos protagonistas e mostra um caminho para voltarem a funcionar juntos; além disso, adorei os sarilhos em que se metem e como resolvem o seu problema;
Shadowsong, S. Jae-Jones - atrevo-me a dizer que é menos bom que o primeiro, mas quando estamos no patamar desta autora, isso significa ainda muito bom; julgo que me identifiquei mais com o primeiro por causa da luta interior com o processo criativo e julgar-se merecedor de criar algo; mas é fantástico na maneira como lida com o bloqueio e como a Liesl passa tanto tempo em negação, mas tenta salvar os que ama... senti falta do Goblin King, mas adorei ter mais momentos dedicados à Kathe;
Hero at the Fall, Alwyn Hamilton - um final de trilogia maravilhoso, cheio de reviravoltas e sacrifícios e escolhas difíceis... interessante como a Amani duvida de si própria e se pergunta com que direito deve ela tomar decisões pela rebelião... fiquei contente de os ver triunfar e conseguir um final feliz para si próprios, mas não perdoo à autora o que fez num certo momento com um certo personagem - não nos deu tempo para absorver a situação;
Windwitch, Susan Dennard - ainda me debato com algumas coisas que a Susan faz, mas foi um livro mais prazeroso; os personagens avançam e evoluem de formas bastante satisfatórias, e consegue-se ver uns vislumbres do arco de história maior que vão dando para me manter interessada.

Aquisições

O final da colecção Graphic Novels Marvel! Por fim! E mais BD da Goody/Marvel que estou a acompanhar. Em inglês, autores/séries que estou a acompanhar; mais um livro em português, comprado com dinheiro em cartão.

A ler brevemente

De momento só tenho planeado continuar a ler as BDs que vou comprando. Os livros em inglês que vou ler dependem do que receber entretanto.

sábado, 31 de março de 2018

Este mês em leituras: Março 2018

E fim de Março... um mês terrivelmente chuvoso. Só dá vontade de ficar sossegadinha em casa, enroscada com um livro.

Livros lidos


Os livros que marcaram o mês

  • Traitor to the Throne, Alwyn Hamilton - esta série tem-se revelado um bombom bem delicioso, tenho-me divertido a lê-la e gosto do que a autora faz com os seus personagens, com a história e com este mundo;
  • Truthwitch, Susan Dennard - este é um destaque pela positiva e negativa: em teoria gosto de algumas coisas que a autora está a tentar fazer aqui, e a história é cheia de acção e é relativamente cativante, mas o worldbuilding está apresentado de forma tão pouco clara, e uma das protagonistas deu-me cabo dos nervos, para além de ter uma relação com outro personagem que me parece pouco saudável;
  • Obsidio, Amie Kaufman, Jay Kirstoff - o livro final da série, e foi tão bom, adorei seguir os personagens uma última vez... só tenho pena de o casal deste livro não ter tanto tempo de antena; por outro lado, adoro a maneira como estes livros foram desenvolvidos, é um trabalho aturado e fascinante e merece o destaque porque consegue na mesma desenvolver os personagens e o enredo;
  • Verão em Edenbrooke, Julianne Donaldson - tão amoroso, fez-me matar saudades do meu amor pelos romances históricos YA que a Meg Cabot tem, porque tem dois personagens jovens num contexto histórico a serem fofos juntos e fartei-me de torcer por eles; além disso, adorei a personalidade da Marianne e consegui identificar-me com o seu percurso.

Aquisições

Em inglês: livros de séries/autores que estou a seguir (o Obsidio, o da Jennifer L. Armentrout, o The Case for Jamie, o da Tahereh, o Traitor to the Throne, e o Truthwitch). Também estão ali os livros de banda desenhada das colecções que sigo (ainda falta o envio atrasado e o envio final da colecção Graphic Novels Marvel, mas se alguém tiver pena de mim, vai ser este mês que entra o mês em que tudo ficará resolvido). Os livros em português são livros que me suscitaram a curiosidade e foram comprados com dinheiro em cartão.

A ler brevemente

Com um bocadinho de sorte vou finalmente diminuir a minha longa lista de livros de banda desenhada pendentes por ler, se a colecção Graphic Novels Marvel ficar finalmente concluída. Tenciono também ler alguns dos outros livros que tenho por ler, deste mês e dos anteriores. E espero vir a receber algumas encomendas, para continuar séries que estou a ler, e contendo o único lançamento do mês que me interessava (o da Veronica Roth).

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Este mês em leituras: Fevereiro 2018

Hmm. Acho que estou a conseguir trabalhar num plano para as minhas opiniões aqui. É um avanço. De resto, a minha vida literária tem corrido bem, com bastantes livros fantásticos a encher-me as medidas.

Livros lidos


Os livros que marcaram o mês

  • Tales from the Shadowhunter Academy, Cassandra Clare, Sarah Rees Brennan, Maureen Johnson, Robin Wasserman - não achei tão fabuloso como o do Magnus Bane, provavelmente devido ao enquadramento que é feito aqui às histórias, que retira protagonismo ao Simon, mas adoro sempre poder descobrir mais pormenores sobre o mundo Shadowhunter, e por isso é claro que apreciei poder ler este livro;
  • Agora e Para Sempre, Jenny Han - não foi nada pela rota que eu esperava, e fico muito contente... a Lara Jean está na encruzilhada de escolher uma universidade para frequentar, e gostei de acompanhar os seus dilemas neste... além de que a Jenny me permitiu fazer umas observações acerca do carácter da Lara Jean e do Peter que me deixou muito animada;
  • Wires and Nerve v.2: Gone Rogue, Marissa Meyer, Stephen Gilpin - oh, hei de seguir a Marissa para onde quer que seja, e divertir-me enquanto o faço (excepto o Renegades, ainda não sei que fazer ao Renegades)... foi bom poder rever, ainda que brevemente, alguns dos meus personagens favoritos;
  • Unearthed, Amie Kaufman, Meagan Spooner - ah, este foi tão giro e cativante e excitante, e pior, o bendito livro acaba num meio-cliffhanger que me faz querer colocar todas as perguntas e receber todas as respostas;
  • Reign the Earth, A.C. Gaughen - é estranho, sinto saudades brutais da Scarlet e da outra série da autora, que até este dia é uma das minhas favoritas... este livro é bem diferente; não pior ou melhor, diferente: mais sério e maduro e ciente das áreas cinzentas da vida, suponho... é um livro mais difícil de dizer que se torna um favorito, porque é em partes duro e real e imperfeito; mas é um bom livro, importante, e representante duma evolução e maturidade da autora que muito aprecio... espero ansiosamente pela resolução.

Aquisições

Banda desenhada do mês: as revistas Marvel da Goody, que tenho gostado de acompanhar; o resto da colecção da Harley Quinn; e mais dois números da Graphic Novels Marvel (são os números de Janeiro; os de Fevereiro ainda não chegaram, bem como os de Dezembro, acerca dos quais fiz queixa à distribuidora, que me assegurou que ia reenviar - ainda não aconteceu e estou a ficar seriamente cansada destes senhores).

Em inglês, na horizontal, são os livros de autoras/séries que sigo, como habitual, mais um bónus, um rico presente de anos (ehehehe :D), o The Wrath and the Dawn. Comprei o livro da Jenny Han com dinheiro em cartão.

A ler brevemente

Se a Vasp (a distribuidora) tiver pena de mim e finalmente mexer o traseiro e mandar a tempo e horas os envios dos livros que me faltam da colecção, talvez eu possa finalmente caminhar na direcção de ir terminando de ler a colecção Graphic Novels Marvel. Haja esperança. Em alternativa tenho com que me entreter no que toca às revistas Marvel da Goody, que têm sido mais regulares e confiáveis.

Hei de ler o The Wrath and the Dawn, só ainda não sei bem quando, porque ultimamente caíram-me no colo uns quantos livros com um cenário parecido e não os queria misturar; e o Shadowsong também, que só tenho adiado porque a vida é chata e eu não tenho tido a cabeça orientada na direcção certa para o ler.

Para além disso, encomendei alguns livros, lançamentos de Março e não só, que espero vir a ler no próximo mês (listados na imagem).

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Este mês em leituras: Janeiro 2018

Bem, este foi um mês interessante. As minhas leituras continuam animadas, mas o blogue não recebeu nenhuma visita minha. Eh. Nem sequer estou preocupada. Simplesmente estou, nos bastidores, a tentar perceber como poderei voltar à minha rotina por aqui, combinando-a com a minha rotina na vida real de modo a poder equilibrar as duas. Venha Fevereiro.

Livros lidos


Os livros que marcaram o mês

  • The Bane Chronicles, Cassandra Clare, Sarah Rees Brennan, Maureen Johnson - ah, o Magnus é tão divertido... adoro que as autoras escrevam os contos com um certo sentido de humor, e gosto que a Cassandra use estes contos para complementar um pouco o seu mundo;
  • Rebel of the Sands, Alwyn Hamilton - claramente um primeiro livro, mas tem um worldbuilding um pouco singular, e é super interessante, e consigo ver a história a ir longe... e os personagens são bastante divertidos;
  • A Mad, Wicked Folly, Sharon Biggs Waller - não era bem o que estava à espera, mas achei fascinante... a Victoria está completamente dedicada à sua arte e a melhorar as suas capacidades, mas é uma menina protegida e com ideias pré-concebidas sobre o mundo que é divertido de ver serem desmontadas, e o livro pinta uma imagem do início do século XX muito cativante e devorável;
  • The Devil in Winter, Lisa Kleypas - passado não sei quantos anos, li-o? Yay? Achei que a distância temporal me ia fazer esquecer um bocadinho do quão enervada estava com a Lisa no fim do livro anterior... bem, digamos que percebo porque este é o favorito das pessoas, mas lamento, não me consigo esquecer das acções do protagonista masculino nesse livro, e não acho que a Lisa o faça passar as passinhas do Algarve como ele merecia, para o seu final feliz me soar merecido. Acho que ela fez um péssimo trabalho a destruir o seu carácter para além da redenção (havia maneiras de torar a sua traição mais palatável, acho), e fez ainda um pior trabalho a reconstruí-lo, porque aludir a traumas passados e nem os tornar claros para o leitor... bem, badly done, Lisa. Badly done. Pontos interessantes, though, que podiam ganhar em ser melhor explorados: como o Sebastian foi um ocioso toda a vida, e como o trabalho o mudou, e como só a Evie para o manter controlado, pois só alguém que se lembrasse de lhe propor casamento para fugir à família abusiva era capaz de lhe dar a volta (a Evie merecia revelar ter uma personalidade mais marcada, definitivamente, e o trauma familiar também devia ter sido melhor explorado) - sei que este é um livro que não seria levado às costas se fosse publicado hoje, porque tem definitivamente coisas problemáticas e lida pobremente com os seus issues;
  • Monstress v.2: o Sangue, Marjorie Liu, Sana Takeda - ok, esta BD é como aqueles animes incrivelmente sangrentos com um conceito filosófico e supercomplicado que só percebemos muitos anos depois a navegar na net *cof*Evangelion*cof*, mas I'm along for the ride, porque o design visual é lindo e maravilhoso e cada página faz-me soltar um suspiro, e bem, um dia eu vou perceber exactamente o que se está a passar, e vou adorar, porque já estou interessada o suficiente no que consigo vislumbrar.

Aquisições

O Rebel é um presente de Natal de uma pessoa amorosa e maravilhosa (beijinho beijinho), o da Kemmerer e o Monstress foram comprados com dinheiro em cartão, e o restante é a BD do mês. Portei-me extremamente bem no que toca a compras. (*Coisa prestes a ser desfeita em Fevereiro, quando as compras de Janeiro chegarem.*)

A ler brevemente

Vou continuar a ler as séries de BD que estou a acompanhar; fora isso, tenciono ler o segundo livro de contos da Cassandra Clare (em conjunto com outras autoras) no mundo dos Shadowhunters, desta vez focado na Shadowhunter Academy e na curva de aprendizagem do Simon nela.

Os livros listados são os que espero receber do Book Depository entretanto. Estou particularmente animada para o Shadowsong, porque o anterior, Wintersong, tem um pedacinho da minha alma lá contido; mas também o novo da Gaughen, e do par Kaufman-Spooner. Should be fun.

domingo, 31 de dezembro de 2017

Este mês em leituras: Dezembro 2017

Ah... ainda bem que amanhã já é um novo ano, suponho eu. Parece um pouco mecânico atribuir tanta a importância a uma mudança mínima no calendário, mas tendo em conta que tenho andado algo desmotivada e cansada, pode ser que a dinâmica de ano novo, e recomeçar isto e aquilo, e motivação tal e tal, me permita voltar ao ritmo normal por aqui. Que venha aí um ano melhor e mais realizado.

Livros lidos


Opiniões no blogue


Os livros que marcaram o mês

  • The Girl at Midnight, Melissa Grey - este é mais por ser menos bom... o marketing sempre me deu a sensação que estavam a tentar vender um novo Daughter of Smoke and Bone, mas uma Laini Taylor esta senhora não é; às vezes falo nas minhas opiniões de autores que fazem coisas com que se safam porque são bons, mas que se fossem outros autores a fazer, levavam nas orelhas: a Melissa Grey é do segundo grupo (a Laini é do primeiro, claro está), pois fez uma série de coisas que não gostei de ver, e o meu editor interior esteve o tempo todo a mandar bitaites sobre como o livro podia ser tão melhor se fizesse assim e assado;
  • O Ódio Que Semeias, Angie Thomas - passei muito tempo com os dedos metidos nos ouvidos a ignorar o burburinho sobre este livro porque detesto burburinho, porque geralmente dá uma ideia errada das coisas; pois bem, a Angie Thomas é uma boa escritora, a história é cativante e vale a pena ler por dar uma imagem fantástica da vida da protagonista, e é muito bom porque lembra uma fatia da história norte-americana que as pessoas não costumam conhecer muito bem; continuei no entanto com a ideia com que comecei, que o marketing à volta do livro passa muito tempo a dizer quão bom é, mas não faz muito esforço em recomendar outros livros que façam tão bom trabalho, e que sejam um bom exemplo do que esta autora está a tentar transmitir; é pena, porque dá a sensação que o livro existe num vácuo, o que não é verdade; não é nada contra o livro em si, nem com a autora, que faz um excelente trabalho a lembrar o que está para trás, é mais um problema com falar-se dele como se fosse a maior invenção desde a roda, ignorando o que está para trás - e numa questão tão actual como esta, isso é tão redutor;
  • Os Pássaros no Fim do Mundo, Charlie Jane Anders - ok, este livro é estranho, e a tempos vi-me algo frustrada com ele, mas é fascinante e cativante, e tão entrosado a fazer a sua própria coisa sem fazer esforço nenhum no processo; soa natural, mas também dá para ver o trabalho feito por trás, e fico contente por ter lido - não era livro em que pegasse normalmente, pela vertente mais "literária", mas fico contente por lhe ter pegado - era o tipo de livro que eu espetaria (literalmente) na cara dos snobes literários que desconsideram fantasia e ficção científica (temos que lhes permitir fazer a transição lentamente, pobres almas, para se livrarem do snobismo).

Aquisições

Banda desenhada do mês: finalmente os livros que me foram cobrados em Novembro da Graphic Novels Marvel chegaram. Telefonei para o pessoal das assinaturas da colecção e descobri que apesar da cobrança conjunta de dois meses, ainda assim eles mandam cada mês em separado, e por isso recebi um pacote no início do mês, e outro no fim. Estão a mandar-mos para casa, que não era nada isso que estava combinado com a distribuidora anterior (iam para o meu trabalho), mas enfim, como vem por CTT normalmente, também tenho certas facilidades em recebê-los que não teria com a anterior distribuidora. E entretanto já me foi cobrado Dezembro, mas ainda não recebi - suponho que aí podemos pôr as culpas aos pés da época do ano, que não é conducente a receber encomendas atempadamente?

Outra banda desenhada: o fim da mini-colecção Liga da Justiça. E mais revistas Marvel editadas pela Goody - finalmente o número 7 do Homem-Aranha apareceu! Já posso pôr essas leituras em dia. E por fim, os restantes livros foram adquiridos com dinheiro em cartão - o da caligrafia, e os dois no topo da pilha.

A ler brevemente

Bem, que venha o novo ano e que a inspiração me apanhe num bom momento, suponho eu. As minhas leituras são muito na onda do que me apetece naquele momento, dentro do que tenho à frente, por isso vou deixar aqui o espaço em branco para ver o que me cativa no início do ano.