domingo, 19 de junho de 2016

Feira do Livro de Lisboa 2016 - E então, já acabou...

Eh. Esta feira foi realmente atípica. Mais ou menos como eu previa. Contas feitas, gastei muito pouco, comparando com os anos anteriores, talvez um quarto ou um sexto do valor que habitualmente e/ou em média gasto.

Não tenho bem ideia de quantas vezes costumo ir à Feira, mas talvez tenha ido menos vezes este ano. Ou talvez fui menos vezes com intenção de comprar livros, e também foram, obviamente, menos as vezes em que de facto comprei livros.

Contas feitas, depois das duas vezes descritas no post anterior, fui mais uma vez a uma hora H, mas em que basicamente fui só lá jantar com uma amiga. Andámos por lá dum lado para o outro, mas o raio das barracas da comida faziam questão, quase todas, de escrever gourmet algures na carripana.

Oh, céus. Acham mesmo que precisam disso para vender comida? O português está perfeitamente familiarizado com street food e roulottes de comida. Tudo o que conseguiram fazer foi pôr-nos a torcer o nariz cada vez que o víamos, e acabámos na roulotte dos hambúrgueres e bifanas. E comemos muito bem, já agora.

Fora isso, comi numa outra vez umas Tripas on Wheels, que eram basicamente uns crepes glorificados. Um bocadinho caros. Valeu terem ovos moles, que eu acho deliciosos. Mas as waffles doutra barraca estavam a bom preço e adorei comê-las com ovos moles, muito boas.

A seguir a ter ido lá com a minha amiga, fui mais uma vez à hora H. Não tinha nada específico em mente, e acabei a comprar o conjunto de livros que estão deitados. Estavam na Porto Editora-Bertrand a 5 euros, portanto na hora H ficaram-me a metade do preço. É um disparate, mas um disparate que me saiu muito barato.

Deu para complementar algumas séries, apesar de ficarem na mesma incompletas porque a editora desistiu desta chancela e de muitas séries que publicava. Mas fiquei com uma cópia de um par de livros que já tinha e de que gostei muito.

Passou uma semana sem eu ir lá, e depois fui a uma hora H para vir de mãos a abanar. As multidões desencorajaram-me e não encontrei nada que me animasse. As duas vezes seguintes que fui à Feira é que valeram. Passei um bom bocado na conversa com pessoal dos livros, o que me soube melhor que tudo o resto da Feira.

Voltei à Feira uma última vez no último dia, por causa da hora H. Excepcionalmente, acabou numa segunda-feira, por ser feriado em Lisboa (dia 13). Comprei os dois livros que estão ao alto na foto. Hei de dar continuidade à Deborah Harkness, e a banda desenhada tinha-me deixado curiosa quando saiu.

E pronto, terminou. Para o ano há mais. Como esperava e previa, gastei muito menos em livros, por ter muito menos que quisesse comprar. Acho que estou um bocadinho cansada da feira, se é que o posso pôr nestes termos. Gosto de livros, gosto de comprar livros, mas a maneira como as coisas funcionam na feira, bem, podiam ser melhores, e isso desanima-me. Portanto, só posso terminar desejando que para o ano seja melhor, e que até lá eu tenha muitas e boas leituras.

Sem comentários:

Publicar um comentário