quarta-feira, 23 de março de 2016

P.S. Ainda Te Amo, Jenny Han


Opinião: Estes livros são adoráveis e tremendamente charmosos. A sério, eu vou ter de ir ler os outros livros da Jenny Han, não vou? Raios. Sempre a aumentar livros à wishlist. Tivesse eu tempo para ler tudo.

Ora bem, depois do final altamente cliffhangeresco do outro livro, criado expressamente pela Jenny para nos torturar, e que ainda é mais grave porque ela o resolve bastante rapidamente... bem, digamos que foi muito fácil voltar a cair na história. A autora escreve de maneira altamente cativante.

Desta vez, a Lara Jean tem de lidar com a perspectiva bastante intimidante de... ter uma relação. Foi a melhor parte deste livro, de caras. É o primeiro amor, e eles são adolescentes, por isso não espero juras de amor nem "para sempres"; julgo que é muito mais realista acompanhar os soluços e solavancos que acompanham esta nova intimidade.

A Lara Jean é nova, e é a primeira vez que namora, o que quer dizer que um rol de inseguranças vem ao de cima, o que a força a examiná-las e a crescer. Achei tão engraçado e relevante o "escândalo" do vídeo no jacuzzi; na era em que vivemos, tudo está na internet, para sempre, e isso traz as inseguranças com a ex-namorada do Peter, e ex-amiga dela, a Genevieve. Não vou dizer que a Lara não teria razão nalgumas coisas, mas com mais experiência teria lidado com elas de outra maneira.

O Peter, por seu lado, é um pouco difícil de ler, porque não é tão emocional, mas creio que compreendo o lado dele. Queria fazer a coisa certa, mas não queria deixar de apoiar quem lhe tinha merecido afecto. Não lidou definitivamente da melhor maneira com certas coisas, mas enfim, rapaz adolescente, vou dar-lhe um desconto para ser palerma. Além disso, o Peter tem os seus momentos amorosos, como quando dá boleia à Kitty, a mana mais nova da Lara Jean; ou quando topa a carta da Lara logo no início - adoro como isso não cria drama desnecessário!

Há uma, hmm, terceira parte, um rapaz que recebeu uma das cartas da Lara, aquele que faltava, John Ambrose McClaren. (A propósito, detesto o nome. Ugh, precisava de ser referido pelo nome completo de todas as vezes?) Aquilo que eu acho interessante no John é que mostra à Lara que tem opções, que não precisa de se contentar com o que tem; e também que alguém pode ser perfeito no papel, mas ainda assim não ser o seu momento. Não vejo um futuro para todos os personagens, porque ainda são demasiado novos para se definirem; mas se a Lara alguma vez acabasse com o Peter, consigo vê-la com alguém como o John, que a entende e encaixa com ela.

Continuo a adorar a família dela, porque são todos tão unidos, tão facilmente uma família. Têm os seus dramas, mas gostam mesmo uns dos outros, cuidam uns dos outros. É tão refrescante ver relações familiares tão saudáveis, tão presentes e tão importantes na vida da protagonista.

Um destaque ainda para a Kitty, que é uma personagem deliciosa, cheia de vida e de respostas prontas. Quando crescer, vai ser cá uma peça... eh, se a autora alguma vez escrevesse um terceiro livro, adorava que fosse do ponto de vista da Kitty, na sua adolescência. Era lindo, fabuloso de ver. (E gostava muito de poder ver a Margot mais resolvida, que bem merece.)

Título original: P.S. I Still Love You (2015)

Páginas: 272

Editora: Topseller

Tradução: Leonilda Santana

Sem comentários:

Publicar um comentário