segunda-feira, 27 de abril de 2015

Não Sou Esse Tipo de Míuda, Lena Dunham


Opinião: Este não é, necessariamente, um livro que eu leria habitualmente. Raramente leio não ficção, e a probabilidade de ler algum tipo de memória ainda é menor. No entanto, o livro foi alvo de destaques por toda a parte o ano passado, e o que li fez-me pensar que podia vir a gostar da leitura. Quando saio da minha zona de conforto tento ao menos ter uma ideia do que tenho à frente, para não ir com expectativas erradas, e assim diminuo a probabilidade de detestar a leitura só porque fui ao engano.

E acabou por ser uma boa leitura. Não tenho nada a ver com Lena Dunham, em personalidade ou experiências, mas não tive dificuldade em seguir o seu relato. Primeiro porque ela escreve com uma certa clareza, não só na escrita como uma clareza de espírito, um sentido avaliador certeiro acerca da pessoa que é e dos momentos que experienciou.

É interessante ver a sua perspectiva sobre certas coisas, ciente das suas falhas e problemas, e refrescante, também - ela pode soar algo egotista, mas é cândida acerca disso. Além disso, achei interessante vê-la recontar pedaços da sua vida sobre perspectivas diferentes, em partes diferentes do livro, acrescentando pormenores à medida que o livro avançava.

Depois porque ela é apenas um pouco mais velha que eu, é tecnicamente da minha geração, e apesar de culturalmente e socialmente não termos muito em comum, certas experiências dela podem ser vistas a modos como que universais. Problemas e dramas específicos da idade e posição na vida, ou questões particulares e singulares mas que se apresentariam a qualquer um em qualquer lado. (É verdadeiramente trágico ler sobre a sua experiência de violação e perceber como se afastou mentalmente da mesma, como se negou considerá-la como tal.)

A tradução pareceu-me razoavelmente boa, mas gostava de deixar de ver tradutores portugueses a cometer erros tão crassos como traduzir "call my father" por "chamar o meu pai", em vez de "telefonar ao meu pai". É tão errado, especialmente quando o resto do trabalho está quase irrepreensível.

De qualquer modo, diria que foi uma boa leitura, e uma boa surpresa. Não sei se esperava vir a gostar genuinamente de ler o livro, mas este trocou-me as voltas e revelou-se. Mostrou ser uma memória cativante e recheada, mesmo vinda de alguém tão jovem, e passei um bom bocado com ela, mostrando-me a perspectiva de alguém tão diferente de mim, mesmo suspeitando eu de que teria muita dificuldade em ser amiga de alguém como a Lena na vida real. Felizmente, tudo o que era preciso aqui era ler o livro, e isso fiz com gosto.

Título original: Not That Kind of Girl (2014)

Páginas: 288

Editora: Presença

Tradução: Maria de Almeida

Sem comentários:

Publicar um comentário