sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Stray, Rachel Vincent


Opinião: Bem, vou desabafar primeiro a parte que mais me irritou no livro: a heroína é uma idiota! Ou pelo menos comporta-se como uma durante a primeira metade do livro - o que foi um tudo-nada frustrante, ver uma homónima minha, com a minha idade, com poderes fantásticos, e um feitiozinho dos diabos, mas que usa um nome mais parvo e espampanante, e que se comporta como uma adolescente no pico da rebelião. A relação da Faythe com a família e o modo como ela lida com a sobreprotecção deles é enfurecedor. Sim, já percebemos, o papá é autoritário, mas enfurecê-lo com pseudo-rebeliões não é a melhor maneira de saíres de debaixo da asa dele, Faythe. Escolhe melhor as tuas batalhas.

Felizmente, a segunda parte foi muito mais divertida e vale pelo livro todo - o que é irónico tendo em conta que a Faythe é raptada. Mas finalmente o lado rebelde dela torna-se justificado, e o modo como ela lidou com as coisas foi um tudo-nada mais maduro. O enredo adensa-se e eu pude ver porque é que gosto desta autora... acabei por atribuir a turbulência da primeira parte às dores do primeiro livro publicado. Além de que acredito que a Faythe há de evoluir... a porta fica aberta para ela se ver numa posição de responsabilidade.

Isto se ela não se distrair com os rapazes. Temos o Marc, com quem ela tem um passado turbulento e que não desistiu de esperar por ela, mesmo após 5 anos (yup, está assim tão caidinho); e o Jace, amigo de infância que se pode tornar algo mais. Parece-me, neste momento, perfeitamente óbvio com quem ela vai ficar, o que torna irrelevante o outro lado do triângulo amoroso. Mas tendo em conta o modo como a autora lidou com o triângulo na outra série dela, talvez as coisas ainda fiquem interessantes.

O mundo dos werecats pareceu-me bem interessante, com todos os comportamentos animais e com todo o estabelecimento da sociedade werecat. Os Alphas, Strays, Prides e não sei quê. O modo como as fêmeas são escassas e altamente protegidas. Ver a Faythe e a família em modo felino. Há um certo potencial para a série, e quando acabei o livro fiquei impaciente para ler o volume seguinte.

Sem comentários:

Publicar um comentário