sexta-feira, 2 de maio de 2014

Soul Screamers Volume Four, Rachel Vincent

Nota: Este volume contém With All My Soul, o último livro da série Soul Screamers, juntamente com os contos Fearless e Niederwald, os quais já comentei aqui no blogue. Contém ainda a novela Last Request, material inédito na série. Reli os contos, juntamente com os capítulos finais de With All My Soul, para além de ter lido a novela pela primeira vez.

With All My Soul (capítulos finais)

Como disse na minha opinião do livro, sinto-me orgulhosa da Kaylee por ter evoluído ao longo da série de modo a tornar-se nesta jovem dedicada, confiante, corajosa e madura. A decisão que ela toma é dura, e assustam-me as consequências dessa decisão, mas admiro-a por fazer o que fez, especialmente porque lidou com tudo de uma maneira muitíssimo inteligente.

Este final parte-me o coração, mas também me deixa feliz. Os dois capítulos permitem ver um pouquinho do futuro para estes personagens, mas souberam-me a pouco, gostaria de ler mais, muito mais, especialmente sobre a readaptação da protagonista a uma nova realidade.

Fearless

Este conto tem um fim ligeiramente diferente e um pouco mais elaborado daquele que tinha originalmente. É uma história sobre a Sabine, uma personagem tremendamente interessante e complexa, apresentando-a depois de conhecer o Nash e um pouco antes da tragédia atingir as vidas dos Hudson. Aliás, o fim torna mais explícita a relação desta história com essa tragédia, pois os actos dos personagens no fim do conto acontecem na mesma noite da tragédia, e levam à mesma. É tão triste...

Por outro lado, consegui ficar ainda mais estupefacta com as acções do Nash. Eu sei que perdeu a ligação directa (o telemóvel) que tinha com ela, eu sei que passou por uma tragédia e mudou de casa... mas nem pensou em procurar pela Sabine durante os dois longos anos que ela passou à procura dele? E envolver-se com a Kaylee sem um pensamento para a relação pendente com a Sabine? Cada vez mais este rapaz me irrita. Não sei se merece a Sabine, quanto mais a devoção que ela lhe tem. Espero ao menos que o Nash do futuro seja mais ponderado.

Niederwald

Este conto é essencialmente o mesmo, por isso creio que o meu comentário é o mesmo que já fiz. É interessante lê-lo depois de já ter lido If I Die, pois o conto prevê algo que vai acontecer nesse livro. Desta vez consigo não estar tão temerosa da reacção da Sabine e dos outros personagens, porque já sei o que vai acontecer, e sei que vai terminar bem... e assim sinto cada vez mais que a Sabine tinha razão, apesar de ela me irritar um pouco com isso.

Last Request

Uma novela escrita já uns tempos depois da serie principal, ata algumas pontas soltas que ficaram por resolver após o fim de Soul Screamers. Acontece a meio do período de tempo entre a maior parte de With All My Soul e os últimos dois capítulos. Gostei de ler a história, pois acrescenta um bocadinho à série e dá-me em parte o que pedi, que era ler mais sobre o que tinha acontecido naqueles anos.

É bom ver o Tod e o Nash trabalharem juntos, com o mesmo objectivo. Entristece-me ver o Tod tão em baixo, pronto a desistir, apesar de compreender o estado em que está. É... irónico que tenha tido de ser o Nash a puxar por ele. O caso que ambos tentam resolver é quase enviado do céu, vindo na altura ideal.

Fico feliz por vermos finalmente o que acontece ao Thane, esse personagem que tantos sarilhos trouxe durante a série. Honestamente, merece tudo o que lhe aconteceu, incluindo a cena hilariante de ficar preso a uma planta mortal do Netherworld (uma boa cena, já agora). Outro detalhe que me agradou em Last Request é a reaparição das harpias. Nunca pensei que a autora fosse repescá-la, mas é uma solução simples e esperta para resolver a missão do Tod e do Nash.

Agora sobre a "missão" em si... é tocante que os rapazes o tenham decidido fazer, e fico contente que tenha resultado. Mas fiquei outra vez com má impressão do Nash. Ele apercebe-se do tipo de ligação entre o Tod e a Kaylee, e sabe que é uma similar à do Aidan e da Darcy... e sabe a mecânica de como tais ligações funcionam. E a primeira conclusão dele é que algo deve ter corrido mal quando a Kaylee decidiu fazer o que eles pensam que fez? Não era mais razoável desconfiar da história toda, e perceber que ainda havia esperança? A sério, eu sou capaz de perdoar ao rapaz todas as asneiras que fez, mas lá que lhe faltam uns neurónios, faltam.

Sobre o fim, é um pouco emocional, mas fico felicíssima com a decisão do Tod. Nem quero pensar no que teria acontecido se ele tivesse tentado fazer outra coisa. Tal e qual como a Kaylee, corajoso e altruísta. Se dúvida houvesse que estão mesmo bem um para o outro...

Sem comentários:

Publicar um comentário