sábado, 20 de dezembro de 2014

All Broke Down, Cora Carmack


Opinião: Cora Carmack, já te topei. O teu primeiro livro duma série é sempre divertido e fofinho, e depois nos seguintes, quando já cativaste o leitor, pegas em todas as armas emocionais ao teu dispor e disparas com toda a força... até tenho medo do que esperar para o terceiro livro. Bem, talvez não para o terceiro, que será dum personagem bem divertido, mas se o quarto for o livro prometido para a Stella e o Ryan, então, sim, prevejo que vou morrer do coração.

Adiante. Este é o livro dum casal no mínimo inesperado. Temos a Dylan, que cresceu educada por uma "boa família", e que é apaixonada pelo seu trabalho em activismo, mas que vai parar à prisão durante um dos protestos em que participa. E temos o Silas, bad boy residente, líder na equipa de futebol americano, mas que devido a uma luta vai parar à prisão, e cujo comportamento pode emperigar a sua posição na equipa.

Acho que o mais interessante na jornada que ambos partilham é que apesar de terem percursos diferentes, e perspectivas diferentes sobre eles, a Dylan e o Silas acabam por ter o mesmo tipo de problema a enfrentar, e torna-se duplamente interessante ver como cada um lida com isso. A Dylan focou-se em ser a menina perfeita para compensar um passado difícil, sem se permitir tempo para respirar; o Silas contentou-se com a fama que tem e nunca espera ser melhor que o seu passado, e por isso nem tenta.

E por isso, o retrato psicológico que a autora faz dos dois é impressionante, e cativante. É possível compreender porque é que a Dylan se sente insegura quanto ao que tem na vida, querendo sempre provar que o merece; no entanto, o retrato do Silas é ainda mais fascinante. No primeiro livro ele parecia apenas um bocado idiota, e feliz por assumir o papel. Aqui, é possível ver por trás da fachada, e é até aflitivo perceber a extensão da falta de auto-estima dele quanto ao seu passado e à sua origem, e em como acredita não poder ser melhor, nem merecer melhor.

Acaba por ser delicioso ver como as suas perspectivas distintas quanto à vida os desafia mutuamente para fora da zona de conforto de cada um, e de como isso os ajuda a entender melhor as suas dificuldades e a perceber que podem querer, e alcançar, coisas bem diferentes do que até então tinham projectado. É tão bom vê-los terminar num melhor estado do que aquele em que começaram. Além disso, como casal são absolutamente explosivos e têm uma bela química.

Uma coisa que percebi que até gosto mesmo muito é o cenário da equipa de futebol americano. Eu posso não perceber uma ponta de futebol americano, mas bolas, aquilo parece tremendamente excitante. Contudo, o melhor mesmo é o ambiente entre as pessoas que jogam e treinam a equipa, entre os treinadores e os jogadores (balneários cheios de testosterona, how exciting), como se forma ali uma família: podem ser chatos de aturar, mas são a nossa família, e estão connosco para o bem e para o mal.

Lembra-me quando via Friday Night Lights (se o Carson será um Matt, que até anda com a filha do treinador e tudo, o Silas é totalmente o Tim Riggins), cujo foco não era exactamente no futebol, mas mais nas relações humanas e nas emoções daquelas pessoas que navegavam em torno do futebol. A sensação de camaradagem e rivalidade entre os jogadores é bem engraçada, e os personagens vão-se revelando aos poucos.

O final deste livro traz uma situação complicada, acerca de cujo timing eu não estou certa que seja o melhor (percebo porque aconteceu, e de certo modo faz sentido, mas creio que narrativamente falando devia vir um pouco antes), todavia é uma adição muito boa por parte da autora, porque é infelizmente uma situação que se vê vezes de mais, e a maneira como se lidou com ela fez-me pelo menos ter orgulho das pessoas que estão à frente da equipa.

O próximo livro promete pelo menos ser divertido, porque o protagonista é o Torres, que parece ser um grande maluco, e a protagonista é a Nell, que é toda estudiosa e certinha. Vai ser volátil. O livro seguinte, que espero que a autora possa vir a publicar (ainda não tem contrato), seria sobre o Ryan, que é adorável, por isso pergunto-me qual será a sua história, e a Stella, que tem um caminho duro e difícil à frente, mas a autora tem aqui uma grande oportunidade para um desenvolvimento de personagem fantástico, e espero que não o deixe escapar.

Páginas: 368

Editora: William Morrow (Harper Collins)

Sem comentários:

Publicar um comentário