segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Curtas: Mixórdia de Temáticas, Baby Blues, Inside HBO's Game of Thrones

Mixórdia de Temáticas, Ricardo Araújo Pereira
Um livro que compila os argumentos da rubrica com o mesmo título da Rádio Comercial, o que é em si a força e a fraqueza do livro. Fraqueza porque os textos foram claramente para ser lidos em voz alta, encenados, e lidos simplesmente não têm tanta piada.

No entanto, ajudou eu ler apenas alguns por dia, e a força do livro foi por um lado eu ter presente a voz dos locutores intervenientes, que me ajudava a imaginar as vozes em cada texto; e por outro lado houve alguns textos que me pus a ler em voz alta à minha irmã, tentando imitar os tons e timbres, o que deu pelo menos uma sessão de risota pela parvoíce.

O humor presente é o típico do autor, por isso quem conhece sabe ao que vai. A sua análise é por vezes muito certeira, e aponta certos problemas com um humor impagável, revirando a situação duma maneira que é impossível não rir. Recomenda-se, mas em doses pequenas e com a noção de que estes textos são mesmo para serem representados. Melhor mesmo é ouvir os podcasts ou ver os vídeos no YouTube.

Cama Supra, Rick Kirkman, Jerry Scott
aqui falei bastante de Baby Blues, e não sei que mais posso dizer. Gosto bastante deste tipo de álbum de tiras, e aprecio que continuem a publicar algumas coisas deliciosas. Só não leio mais porque não há mais disponíveis em português. No caso de Baby Blues, a editora tem feito um trabalho notável a publicar os livros que recolhem as tiras diárias, estando praticamente actualizados com o que está publicado em inglês.

A piada das tiras é mesmo a vida familiar de Wanda e Darryl MacPherson, e dos seus três filhos, Zoe, Hammie, e Wren. A Zoe e o Hammie estão em idade escolar, o que permite muitas piadas à volta disso, e a volta da relação fraternal, das partidas que fazem um ao outro e das rivalidades normais para um par de irmãos. Já a pequena Wren está numa fase de desenvolvimento muito gira, entre aprender a andar e falar, e também gera algumas tiras engraçadas, especialmente com os irmãos.

Por outro lado, os autores equilibram a oferta com tiras sobre o Darryl e a Wanda, sobre como ele se esquece às vezes da trabalheira que os miúdos dão, ou sobre como os dias são um vendaval para ela. Também há tiras em que tentam sair sozinhos (e preocupam-se com os miúdos a cada minuto), ou sobre como se sentem um pouco desactualizados em relação aos filhos, à tecnologia e à cultura popular.

É fascinante como a vida familiar não deixa de conseguir gerar piadas e situações engraçadas, e continuo cativada por esta família e os pequenos dramas e comédias do dia-a-dia. A única coisa que me resta apontar é que os miúdos estão estagnados em termos de idades há alguns livros... este é o 5º livro de Baby Blues que opino aqui no blog, e ainda não cresceram praticamente nada; espero que brevemente possa vir a ver a Zoe a passar para o 5º ano, numa nova escola, ou a Wren a começar a falar mais.

Este volume acompanha as primeiras duas temporadas da série que adapta os livros do George R.R. Martin. (Recentemente saiu um volume que acompanha as temporadas 3 e 4.) Dividido em capítulos que agregam núcleos do elenco por local geográfico, explora em cada capítulo os personagens, locais e acontecimentos importantes das duas temporadas.

Por um lado, é um volume magnífico. A encadernação é muito boa, robusta, o design das páginas é de encher o olho, é profundamente ilustrado com fotografias, e faz um bom trabalho em apresentar pequenos detalhes sobre o mundo, o que é muito útil para quem viu a série mas não leu os livros. (Ou quem, como no meu caso, leu há algum tempo e precisa de refrescar o conhecimento sobre este mundo.) Também apresenta muito bem a perspectiva dos actores sobre os seus personagens e dos produtores da série sobre como é filmar algo tão grandioso, dando alguns detalhes curiosos sobre as escolhas de produção.

Por outro lado, sabe a pouco. É provavelmente um livro melhor para os fãs da série que para os dos livros. Cada personagem, local ou acontecimento é explorado com alguns comentários dos membros do elenco e da equipa relevantes, só que os comentários parecem tirados de uma entrevista, sem conexão entre si; quase preferia ver o DVD das entrevistas.

Além disso, adoraria ter visto melhor explorados os aspectos de produção, o como se fez, no que toca a locais, vestuário, efeitos especiais, etc.. Além disso, por vezes as fotografias ocupam duas páginas e não tinham claramente resolução para tal, porque ficam com pouca definição - é uma pena, porque muitas valeriam a pena observar ao detalhe.

Sem comentários:

Publicar um comentário