quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

The Hero's Guide to Saving Your Kingdom, Christopher Healy


Opinião: Todos conhecemos a Cinderela, a Branca de Neve, a Bela Adormecida, ou a Rapunzel. Mas sabemos os nomes dos valorosos (heh) príncipes que as salvaram (ou foram salvos por elas, se virmos bem)? Pois. Não. Graças aos bardos, claro, que os descrevem em cada história apenas como Príncipe Encantado. Mas agora já sabemos: Frederic, Duncan, Liam e Gustav, respectivamente. O problema é que o "felizes para sempre" não chega nem perto de descrever o que acontece depois do conto acabar...

Que livro tão fofinho. Estava em dúvida se o facto de ser para uma faixa etária mais jovem do que estou habituada (é considerado Middle Grade) podia aborrecer-me durante a leitura, mas acho que ajuda ao charme da história... faz-nos ter vontade de acreditar em contos de fadas outra vez. Além disso, ando há que tempos com vontade de ler um livro cuja premissa seja "vamos dar cabo do que sabemos sobre os contos de fadas!" num estilo muito à Shrek.

O enredo em si é muito simples, uma bruxa má (a da Rapunzel), sentindo-se desprezada pelos bardos, decide criar um plano mestre que finalmente lhe trará a fama de maléfica que deseja, e os nossos heróis vêm-se na posição de a travar. E por heróis não quero só dizer os vários príncipes, mas também algumas das suas respectivas princesas. Gostei de ver que não há uma dualidade de tratamento dos personagens conforme o género. Tanto os príncipes como as princesas são caracterizados ricamente, permitindo que evoluam de personagens-padrão para pessoas com idiossincrasias, e que ao longo da história aprendem com os seus erros.

Os meus personagens favoritos foram, por coincidência ou não, os pertencentes a dois dos casais. A Branca de Neve e o Duncan, porque são um casal com muito em comum, sendo os "estranhos" e solitários do grupo, mas com umas características bem divertidas. A fé do Duncan na sua "boa sorte" era inabalável, e o modo como a sua energia complementa o feitio mais calmo da Branca de Neve animou-me. Além disso, são o único casal que é realmente casado. Um com o outro, isto é.

Também gostei muito da Cinderela, pelo seu feitio aventureiro e decidido. Preferiu fugir e ver o mundo, e fazer algo por ela própria. O Frederic levou alguma tempo a agradar-me, mas gostei de o ver o seu lado diplomático. É devotado à Cinderela e decidido a encontrá-la (e salvá-la), mesmo tendo medo de sair do castelo e estar habituado a mordomias. Gostava de os ver ficarem juntos, são pessoas diferentes mas creio que juntos fazem um casal interessante.

O Liam e o Gustav irritaram-me um bocadinho, um pela sua atitude "sou o herói de serviço e o líder, sou tão bom", o outro pela sua teimosia em se atirar para as coisas sem pensar. Mas apreciei a sua evolução ao longo do livro. A Rapunzel, infelizmente, não aparece muito... gostava de a ver mais no próximo. A Bela Adormecida é a maior surpresa do livro, pela sua personalidade e atitude. E ainda há a Lila, a irmãzinha do Liam, que me pareceu uma miúda esperta e corajosa.

A escrita e o desenvolvimento da narrativa têm pequenos momentos de non-sense, ou de auto-consciência que lembram os contos de fadas em que são baseados, e gostei de como o autor brinca com certos lugares-comuns deste tipo de história. As ilustrações ao longo do livro merecem um destaque, porque são bem giras e ajudaram-me a identificar os personagens e "criá-los" na minha imaginação.

Páginas: 448

Editora: Walden Pond Press (HarperCollins)

4 comentários:

  1. Parece ser mto lgl. Já tinha visto algumas resenhas americanas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é bem giro, especialmente para quem gosta de contos de fadas, e de ler o que acontece depois dos mesmos. Está recomendado! ;)

      Eliminar
  2. Olá :) deixei-te um selo no meu blog: http://awonderfulworld2.blogspot.pt/2013/02/selo-liebster-award.html

    Diverte-te ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ena, que boa notícia! Muito obrigada. ;D

      Eliminar