sábado, 30 de agosto de 2014

Opposition, Jennifer L. Armentrout


Opinião: É engraçado pensar nesta série e na história que foi sendo contada ao longo dela, e em como as coisas mudaram entre o primeiro e o último volume, como aquilo que conhecia sobre o mundo e os personagens foi evoluindo, e em como os livros nunca deixaram de manter o meu interesse. Opposition é um final meritório e capaz de deixar esta fã satisfeita.

Seguindo o final de Origin, Opposition começa uns dias depois. A chegada de visitantes à Terra desencadeou uma revolução no planeta, mas a Katy, o Archer, a Bethany e o Luc mantêm-se escondidos, à espera de saber notícias do Daemon, da Dee e do Dawson. A incerteza domina-os, e numa saída para comprar mantimentos, tudo muda, lançando-os num confronto constante com os invasores que será apenas resolvido na recta final da história.

Apreciei seguir os eventos relacionados com os invasores e como o grupo de personagens principais lida com a situação, e como a tenta resolver. Tempos desesperados, e assustadores, que põem novos desafios aos personagens, e que convertem inimigos em aliados e reviravoltas em todos os cantos. Uma das ideias apresentadas para a resolução do conflito é assustadora, pelo que envolve no retrocesso da civilização; a outra é intrigante, pelas alianças que exige que sejam feitas, e por virar completamente uma certa que pensávamos que era verdade no fim do primeiro livro, mas que neste já não é bem assim. Só peca por tardia, porque teria sido tremendamente interessante explorar este ângulo. (Ou talvez a autora já o tenha feito com o Obsession, um livro que se passa neste mundo, mas não é essencial para a série. Agora estou curiosa.)

Comecei por torcer o nariz ao par Katy-Daemon, porque ele, pelo menos nos dois primeiros livros, era tão irritante que só dava vontade que fosse atropelado por um camião - não que lhe fosse acontecer nada de mal, com o raio dos poderes mágicos, er, extraterrestres dele. Mas este par percorreu um longo caminho desde então, e tornaram-se parceiros no verdadeiro sentido da palavra. Iguais. A Katy parte para a acção, recusa-se a ficar parada em casa a limar as unhas, e o Daemon, apesar de lhe ser difícil vê-la em perigo, consegue não dar uma de troglodita, e aceita que ela é capaz de cuidar de si. É uma grande evolução desde o parvalhão do primeiro livro. Além disso, é totalmente adorável na sua devoção à Katy, um pouco cheesy, mas tão intenso.

A Katy, por sua vez, está fantástica. Continua a fazer parvoíces de vez em quando (aquilo que ela faz no início, e como a põe em perigo!), mas luta com garras e dentes pelos seus e pelo futuro a que sabe que têm direito. Tornou-se numa jovem espectacular, com uma força interior e capacidade para o sacrifício quando é necessário. Passou por alguns momentos muito complicados no fim do livro, que sei que vão deixar marca nela (um deles foi mesmo chocante, nunca pensei que acontecesse), mas também conseguiu manter o seu sentido de humor, a sua queda para ser uma totó dos livros (adoro as referências que ela faz, especialmente a da "Nessie"), e o seu amor pelos livros e por blogar.

Entre os personagens secundários, destaco o Archer, a Dee e o Luc. O Archer porque tem uma relação super engraçada com a Katy e o Daemon, conseguindo lidar com eles com uma certa estoicidade; mas também porque apesar de também ele ter razões para se preocupar com outra pessoa, não se dá ares de dramatismo, e mantém-se discreto ao longo da história. A Dee porque sei que foi complicado lidar com a sua mudança de comportamento forçada durante parte do livro, e tive saudades da Dee alegre e atrevida que conheço. E o Luc porque parece um mafioso, sempre com montes de ligações e conhecimentos e pessoas que lhe devem favores e assim. O miúdo é deveras divertido.

Gostei de saber um pouco mais sobre as duas espécies de extraterrestres deste mundo, Luxen e Arum, e de como o seu feudo tem definido os acontecimentos. De conhecer mais Origins, e perceber mais sobre a sua ligação às outras espécies. E também gostei de rever alguns aspectos da Daedalus, e em como a extensão dos feitos deles não era propriamente conhecida. E de ver um pouco como o mundo foi afectado pela invasão e como as coisas nunca mais vão ser as mesmas para a Terra. A sugestão desta última ideia quase que dava para escrever uma nova série de livros, só a lidar com as consequências do que aconteceu neste último livro.

A parte final fez-me roer as unhas, mas achei que podia ter sido mais grandiosa, mais climática. Compreendo porque não o seja, e até faz sentido com o que está contado para trás, mas estranhei. O que importa é que apesar dos sacrifícios, temos um final muito bom, que me deixou mesmo contente, especialmente ao ver toda a gente junta novamente. Vou ter saudades destes personagens.

Uma nota positiva para esta edição, que contém a novela Shadows, uma prequela para a série. (Já bem tarde, se bem que vê-la em papel é bem-vindo. Gostava era que fosse um livro à parte, tendo em conta que ainda é uma novela grandita - 180 páginas!) Uma nota menos positiva para a capa, que tem uns brilhos tão estranhos em cima dela toda e que parece que o Edward lhe vomitou em cima. Eu não mereço ter isto na estante, bolas.

Páginas: 544 (edição especial que contém a novela Shadows; o Opposition ocupa 364 páginas deste volume)

Editora: Entangled Teen

Sem comentários:

Publicar um comentário