sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Marvel NOW! em Portugal - Homem-Aranha Superior números 1 a 6 (Superior Spider-Man #1-18)

Capa do número 01 de
Homem-Aranha Superior.
Admitidamente, torci o nariz ao ouvir falar desta premissa do Homem-Aranha Superior. Quando é explicada, não soa nada bem. Peter Parker a ser substituído pelo Doutor Octopus como Homem-Aranha? Ehhhh... Além disso, têm feito tanta parvoíce ao pobre do personagem ao longo dos anos, que mantenho o meu cepticismo constante em relação a estas coisas.

Capa do número 02 de
Homem-Aranha Superior.
Só que estranhamente, até tem resultado. Os arcos de história têm sido algo lentos a desenvolver-se (anda para acontecer uma coisa qualquer com o Duende Verde há que tempos, e suspeito que ainda vai levar um bom bocado), mas tenho-me divertido imenso a ver o Octopus a lidar com a questão de estar no corpo do seu inimigo, Peter Parker, e ser o novo Homem-Aranha, um super-herói.

Talvez em parte tenha a ver com o sentido de humor com que a história está a ser escrita. O Peter Parker tem um humor bem divertido, meio adolescente, o do Doc Ock vem da sua arrogância e do seu modo diferente de ver o mundo. Geram-se situações engraçadas, como o choque do Otto quando descobre que o Peter não tem um doutoramento, e então vai fazer um para poder voltar a usar o título de "doutor". É muito interessante vê-lo dizer, acerca de outrém, que um assassino não muda de um dia para o outro, para a seguir perceber a ironia da afirmação e calar-se, por causa da sua situação actual.

Capa do número 03 de
Homem-Aranha Superior.
Além disso, adoro como lida com o J. Jonah Jameson, primeiro cativando-o, fazendo-o de parvo, e depois chantageando-o (o JJJ a ser manipulado! incrível!). Há também algum humor na sua mudança de atitudes no que toca às pessoas da vida do Peter, primeiro integrando-se perfeitamente (até demais), depois afastando-as, uma a uma, quando não lhe apetece lidar com elas.

Outra parte curiosa do Octopus tomar o papel do Homem-Aranha é o modo como se apropriou do fato e se tornou mais... eficiente. Lida com as ameaças em termos de prioridades, planeia o momento em que vai atacar, e espalhou pela cidade aranhas-robôs que o avisam dos problemas na cidade de Nova Iorque. O resultado é que acaba por ter mais tempo para as pessoas na vida do Peter. Não há mais Parker sempre atrasado para as coisas, e que falta a encontros e combinações com os outros.

Capa do número 04 de
Homem-Aranha Superior.
É claro que apesar de ser um Homem-Aranha melhor que o Peter Parker em certos aspectos, noutras o Otto é muito, muito pior. É assustadora a maneira como ele está disposto a tudo... matar criminosos com as próprias mãos, dar um enxerto de porrada a quem o humilha, espiar Nova Iorque inteira, divulgar a identidade de um vilão para o apanhar mais depressa, sem pensar no caos que vai criar... há tanta coisa errada no que ele está a fazer, que é arrepiante pensar na possibilidade do Peter voltar e ter de assumir este legado.

Capa do número 05 de
Homem-Aranha Superior.
Por outro lado, apesar do Octopus se dar ao trabalho de manter as relações pessoais de Peter Parker, no início, aos poucos tem vindo a descartar pessoas e ligações, e isso é preocupante. Vai isolar o personagem duma forma brutal. Conto que arranjem uma maneira louca qualquer de fazer o espírito do Peter voltar ao seu corpo, mas vai voltar para quê?

Uma das coisas que mais me espanta é que ninguém dê conta da troca, à parte dois personagens (a Carlie, e o Rei do Crime diz que "a voz é a mesma, mas não é o Aranha que conheço"). Por favor, as duas personalidades do Homem-Aranha não podiam ser mais diferentes. Até um polícia comenta algures que ele "dantes era mais divertido". E no entanto, os palermas dos Vingadores examinam-no e não encontram nada, apesar de estranharem a mudança. (O Doc comenta que é uma sorte que o Tony Stark não esteja por ali para notar uma diferença nos padrões cerebrais do Homem-Aranha, que denotariam a sua presença. Tem piada, o Homem de Ferro está disponível para aparecer em todas as revistas e mais algumas... excepto naquelas em que não dá jeito a sua presença aos argumentistas.)

Capa do número 06 de
Homem-Aranha Superior.
Entre personagens secundários, gostaria de destacar a Carlie Cooper, que é uma jovem esperta e que topa logo que há algo de errado com este Peter. O Robbie Robertson, que na altura do desmascarar do Phil Urich manteve a cabeça fria e tentou evitar um motim. A Norah Winters, que sabe dar porrada e que é uma injustiça ser despedida por causa do Phil. E a Anna Marie, que é uma moça adorável, e tem química com o Octopus-Peter, curiosamente. Gostava de continuar a vê-la nas histórias. E o Doc tem o seu interesse, quando vamos algumas das suas memórias do passado e aquilo por que passou quando era jovem. (Não justifica que se tornasse vilão. Mas é interessante.)

Gostava de destacar duas situações da narrativa até agora. Uma é aquela em que o Doutor Octopus enfrenta o espírito do Peter ainda presente, para o tentar eliminar e purgar as suas memórias. É uma cena impressionante, em que o Peter convoca aqueles que fazem parte do seu mundo, os que já partiram e os que ficaram, para o ajudar, e em que tenta manter-se ligado às suas memórias, para garantir a manutenção da sua existência.

A outra é a questão da quebra temporal, que faz o Homem-Aranha de 2099 vir ao passado. Gosto de toda a ideia de esse futuro estar a ser quebrado por algo que acontece no tempo presente, e em como os Laboratórios Horizonte estão no centro disso. (É uma das minhas partes da vida do Peter favoritas. Espero que não desapareçam.) E acho muito piada a como o Aranha do presente está a tentar matar uma certa pessoa, que é um vilão, e o Aranha do futuro está a tentar manter essa pessoa viva, para que o seu futuro continue a existir. Vai criar uns confrontos engraçados, creio eu.

Capa variante do #1 de Superior
Spider-Men
; adicionei ao post

porque achei imensa piada ao
estilo chibi do super-herói.
Enfim, para um enredo que parecia mesmo estranho, tem gerado uma narrativa que me tem mantido interessada. Não é algo que eu queira que dure para sempre, mas vou acompanhar com gosto enquanto durar - especialmente porque já sei que tem fim à vista. Gostava que isto fosse uma lição para o Peter Parker, para nunca agir como o Ock em termos morais e éticos (a pessoa que o Peter é não o deixaria agir assim), mas que pudesse aprender com a eficiência dele, porque definitivamente melhoraria a sua vida. Demasiado tempo o personagem tem sido mantido num estado de Peter Pan, sem nunca crescer e evoluir, e gostava de o ver num momento melhor, como estava antes de Superior Spider-Men, mas ainda com espaço para crescer mais. Estou expectante de ler o que aí vem.

Sem comentários:

Publicar um comentário